Banner Notícia

RODA DE CONVERSA EM ITABUNA

No mês dedicado à prevenção ao suicídio, a Faculdade Santo Agostinho de Itabuna abraça a campanha por entender que é preciso falar sobre o assunto. O mês de conscientização e valorização da vida está repleto de atividades, as primeiras ações começou nesta sexta-feira(06), com uma roda de conversa sobre suicídio, no espaço de convivência da unidade, com o tema ‘Setembro amarelo’, realizado pelo Centro Acadêmico de Medicina Mércia Margotto (CAMEMM), em parceria com setor de Recursos Humanos.

O suicídio é considerado um tabu pela sociedade, tornando-se necessário desmitificar o fenômeno para que as pessoas identifiquem sinais de vulnerabilidade e sofrimento. É importante perceber os sinais nesta situação, enfatiza o professor da disciplina de Relações Étnicas, Adailson Miranda “Cada pessoa tem seu modo de sofrer psicologicamente, tem suas frustações, alguns mais evidentes e outros não, mas todos nós sabemos o motivo do sorriso, do choro e do silêncio”, complementou ainda que “O desejo de morrer ele é muito comum, todo mundo já pensou na morte como uma saída, mas a ligação com fé, religião, família, amigos, ajuda a vencer. 

A roda de conversa contou com o depoimento do acadêmico Eduardo Chalhoub, do I período do curso de Medicina, que passou por um procedimento cirúrgico onde a pessoa passa a sentir menos fome e regula a vontade de comer “Em virtude dos problemas e da tristeza eu descontava tudo na alimentação, isso acabou gerando um habito para mim. O acompanhamento com uma pessoa que sabe direcionar, sabe ouvir, que não vai julgar, é fantástico”, relatou. 

Para a colaboradora, Jádilla Abib, formada em psicologia, explicou um pouco sobre o que é ansiedade “A ansiedade, em determinado nível, é um sentimento normal do ser humano. É o que nos protege de situações de perigo e o que nos alerta que algo está errado, entre outros, essas pessoas que sofrem estão ao nosso lado no dia a dia”. Para a colaboradora, Carla Rejane, formada em psicologia ressaltou que “É importante perceber os sinais, a questão é que, por estarmos preocupados com o nosso bem-estar, impede de nos atentarmos as pessoas que estão ao nosso redor.

Discussão

A roda de conversa acontece todas as sextas-feiras, às 12:00, no espaço de convivência da unidade. Esta ação veio para propor a discussão sobre suicídio, assunto que já foi tabu e ainda esbarra no preconceito, bem como na falta de informação.