Banner Notícia

ITABUNA REALIZA SIMPÓSIO DE HABILIDADES COMUNICATIVAS EM LIBRAS

O I Simpósio de Habilidades Comunicativas em Libras – HACOM foi realizado na sexta-feira, 14 de junho, no auditório da Faculdade Santo Agostinho de Itabuna. O evento foi organizado por acadêmicos do primeiro período de Medicina.

O Simpósio promoveu a discussão sobre questões relacionadas à saúde e à Língua Brasileira de Sinais – Libras, com foco na inserção das Habilidades Comunicativas nos Cursos de Medicina e áreas afins. O objetivo é despertar atenção de estudantes e profissionais para o atendimento à pessoa surda. Mais de 30 surdos participaram do I Simpósio.

O evento trouxe o depoimento de Moabe Souza dos Santos, surdo e presidente da Associação dos Surdos de Itabuna, emocionando a todos sobre a militância para comunidade, pelas lutas e barreiras que são enfrentadas. O simpósio possibilitou ainda depoimentos como o de Dayana Rana, Fundadora do Blog.

Dose de Inclusão - a psicóloga Fabiana Maron relatou sua experiência no atendimento psicológico para pessoas Surdas; o professor Adailson Miranda explanou sobre “A ferramenta interdisciplinar das disciplinas Libras e Relações Étnicas Raciais como aprimoramento para as habilidades comunicativas no curso de Medicina”. Por fim, tivemos a participação por meio de um vídeo do médico Fred Nicácio, relatando sua experiência em comunicar em libras com os pacientes surdos. “Precisamos ser mais humanos, porque de máquinas nós já estamos cheios, a ciência agora precisa de mais humanização, por isso sejamos mais humanos e um pouco mais acessíveis”, afirmou.

A acadêmica Ariana Morais, do I período do curso de Medicina, agradeceu por fazer parte da equipe que trouxe à sociedade questões tão importantes e, ao mesmo tempo, tão invisíveis a muitos: as necessidades das pessoas surdas. “Realmente pude perceber a importância do I simpósio para essa comunidade tão esquecida. Que este acontecimento se perpetue em nossas vidas, e que tenhamos um olhar mais atencioso a essas questões e que a Língua Brasileira de Sinais não se faça esquecida em nossos dias”, comentou a acadêmica.

A professora Lorena Cerqueira agradeceu e parabenizou a participação dos alunos, palestrantes, intérpretes da cidade de Ubaitaba, aos colaboradores da unidade de Itabuna, aos surdos e ouvintes por terem marcado presença no I Simpósio. A professora explicou, ainda, a importância de minimizar as barreiras linguísticas e culturais existentes entre ouvintes e surdos para os avanços em seu crescimento humanístico e ético. “Promover a inserção das pessoas surdas em serviços de saúde por intermédio de profissionais capazes de estabelecer a comunicação desses pacientes é o que eu mais quero, e não podemos fechar nossos olhos para à Sociedade Surda, em especial da cidade de Itabuna e região sul e extremo sul da Bahia”, destacou a professora.

O I simpósio foi finalizado com apresentações culturais dos acadêmicos do I período do Curso de Medicina e do grupo Sorrilhaços, com números de teatro e dança, encenados e coreografados na Língua Brasileira de Sinais.