Banner Notícia

EGRESSA ASSUME VAGA DE DOCENTE EM FACULDADE FEDERAL

Graduada em Direito pela Faculdade Santo Agostinho em Montes Claros, a egressa Amanda Muniz, conquistou uma cadeira no corpo docente da Universidade Federal do Pampa, no Campi de Santana do Livramento/RS. Ela foi aprovada em concurso realizado em dezembro de 2018, como professora adjunta, com dedicação exclusiva e titulação máxima. 
Amanda acabou de concluir o doutorado em Direito e Arte pela Universidade Federal de Santa Catarina. O tema da tese dela também fez parte do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) na Faculdade Santo Agostinho com as representações dos poderes políticos e jurídicos na obra “O Senhor dos Anéis”.

“Como sou apaixonada pela pesquisa acadêmica-científica, me dedico a temas variados como história do direito, direito das mulheres, feminismo, direitos reprodutivos, sociologia do direito, sociologia do conhecimento científico, epistemologia e estudos culturais, apenas para mencionar alguns”, descreve Amanda.

Amanda Muniz estudou na Faculdade Santo Agostinho entre 2009 e 2013. Já iniciando os trabalhos na Universidade Federal do Pampa, ela encontrou um tempo para conversar com a assessoria de comunicação da FASA. Confira a entrevista.

FASA: Quando você iniciou suas pesquisas e há quanto tempo está no sul do país?

AMANDA: No RS, eu acabei de chegar (dia 17/03). Porém, logo após a graduação eu tentei o mestrado na Federal de Santa Catarina para turma de 2014, sendo que não passei. Mas fui aprovada para atuar como bolsista em Gestão de Ciência e Tecnologia do IFNMG aí em Montes Claros, onde atuei por um ano. Tentei o mestrado novamente na UFSC, fui aprovada para turma de 2015 e, em 2016, defendi a dissertação, fazendo passagem direta para o doutorado, com apoio do meu orientador (Prof. Horácio Wanderlei Rodrigues). Então, morei em Santa Catarina de 2015 até o início de 2019.

FASA: Você sempre pensou em seguir carreira acadêmica? Ser professora e pesquisadora era o seu sonho? 

AMANDA: Sempre. Desde o primeiro período do curso de Direito da FASA, quando tive as chamadas disciplinas "propedêuticas" (sociologia, antropologia, ciência política, filosofia, dentre outras). Já no primeiro período publiquei um resumo no Congresso de Direito da FASA, em coautoria com mais duas colegas, e desde então nunca mais parei. Sou apaixonada pela pesquisa e pela academia, nunca me vi fazendo outra coisa.

FASA: Qual a sua linha de pesquisa?  

AMANDA: Como sou apaixonada pela pesquisa acadêmica-científica, me dedico a temas variados como história do direito, direito das mulheres, feminismo, direitos reprodutivos, sociologia do direito, sociologia do conhecimento científico, epistemologia e estudos culturais, apenas para mencionar alguns. Mas meu TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), minha dissertação e tese foram sobre Direito e Arte. Trabalhei no TCC, na Santo Agostinho, com as representações dos poderes políticos e jurídicos na obra “O Senhor dos Anéis” (sob orientação do então professor Rodrigo Cavalheiro Rodrigues). 

FASA: E você continuou com essa linha de pesquisa no mestrado e no doutorado?

AMANDA: Na dissertação de mestrado procurei identificar no rock de Raul Seixas às representações sobre o direito, utilizando os estudos culturais e a metodologia proposta pelo historiador Marcos Napolitano (foi possível concluir que nas músicas haviam menções ao direito positivo e ao direito natural, mostrando a desconfiança do cantor em relação as instituições jurídicas, provavelmente em razão da ditadura). E, por último, na tese, procurei entender como o movimento estadunidense do Law and Literature surgiu e se disseminou no Brasil sob a alcunha de Direito e Literatura, a partir da ideia de tradução cultural. Foi possível descobrir várias diferenças sobre o que se estuda lá e o que tem se estudado aqui, inclusive críticas à área que parecem ser desconhecidas pelos pesquisadores brasileiros. O material é inédito no país e espero que contribua para repensarmos a forma como o tema tem sido trabalhado aqui no Brasil. Em breve será disponibilizado gratuitamente no repositório institucional da UFSC, para quem se interessar. 

FASA: Conta pra gente a sua satisfação em ver todo o esforço sendo recompensado.

AMANDA: Mais que qualquer outra coisa é a materialização de um sonho, a conclusão de um projeto de vida. Como já disse, eu nunca me vi fazendo outra coisa que não lecionando e pesquisando, e a aprovação como Professora Adjunta, com dedicação exclusiva em Universidade Federal foi uma grande realização pessoal. Agora pretendo seguir na carreira com muita dedicação e profissionalismo, buscando contribuir com as pesquisas brasileiras sobre direito e suas relações com as demais ciências humanas e sociais aplicadas, em geral. Essa pluralidade de interesses vem muito da minha rede de convivência. Meu noivo (Rodolpho Bastos, também de Montes Claros, formado pela Unimontes (Universidade Estadual de Montes Claros) doutorando na UFSC, é historiador e tenho grandes amigos nas mais variadas áreas do conhecimento, o que me ajuda a perceber e problematizar como direito é fechado em torno de si e nem sempre percebe os grandes impactos que causa em diversas áreas do conhecimento humano.

Quer saber mais sobre as pesquisas da Amanda Muniz, egressa da Faculdade Santo Agostinho, Clique Aqui