Banner Notícia

Criação do Parque Estadual de Botumirim

Projeto é apresentado aos acadêmicos de Engenharia Ambiental e Sanitária das Faculdades Santo Agostinho

O Projeto de criação do Parque Estadual de Botumirim foi apresentado para acadêmicos do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária das Faculdades Santo Agostinho na noite da última sexta-feira.

As informações foram repassadas pelo ambientalista e diretor do Instituto Grande Sertão (IGS) Eduardo Gomes Assis que explicou que propôs a proposta de criação do Parque Estadual de Botumirim ao Instituto Estadual de Florestas (IEF).

Também participaram da palestra o secretário de meio ambiente de Botumirim, Hilton Barroso de Oliveira Filho e Jarbas Jorge de Alcântara, diretor de Unidade de Conservação do IEF.  

No próximo dia 14, naquele município, ocorrerá uma Audiência Pública que discutirá a criação do Parque. Botumirim localiza-se no Alto do Jequitinhonha, na continuação da Serra do Espinhaço, especificamente na Serra do Cantagalo. Vizinho do Parque Nacional das Sempre Vivas, o município é banhado por vários ribeirões e tem o Rio Itacambiruçu como principal fonte de água.

Eduardo Gomes explicou que a palestra estava prevista dentro da programação da Semana da Água e foi uma ótima oportunidade para falar da criação do Parque Estadual de Botumirim que terá 36 mil hectares de área protegida, devido à sua importância no contexto de preservação de mananciais e diagnóstico da nova área de conservação ambiental.

“Foram 4 anos de trabalho e pesquisa em que levantamos todos os benefícios da preservação dessa área. Dentro do parque de Botumirim, será possível, de forma sustentável, exploramos o turismo, ser área de estudos para instituições como as Faculdades Santo Agostinho, que saõ referência em engenharia ambiental e sanitária, além de estudo para outras escolas e universidades. É preciso colocar a marca das Faculdades Santo Agostinho neste projeto pró-turismo”, destacou Eduardo Gomes.

Murilo Antônio Olivera Ruas, estudante do 7º período de Engenharia Ambiental e Sanitária, destacou como sendo uma grande oportunidade para os estudantes aprenderem um pouco mais sobre o processo de criação do Parque Estadual de Botumirim.

“Vejo como uma ótima oportunidade a criação deste novo parque na região. São novos empregos gerados e, certamente, abrirá áreas de pesquisa ambiental tão importante para nós estudantes. As faculdades têm essa parceria com importantes Organizações Não Governamentais (Ong’s) que incentivam o trabalho externo, a pesquisa e extensão, o que não deixa de ser um incentivo para as diversas áreas do conhecimento”, destacou o estudante.

O coordenador do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária, professor Flávio Léao Coelho, ressaltou a palestra e o debate como oportunidades de estabelecer parceria acadêmica com atividades de campo, para o desenvolvimento de pesquisas que colaboram para a formação acadêmica, sendo uma forma de o curso e a instituição se envolverem com o desenvolvimento sustentável e responsável.

“Vejo que as Faculdades Santo Agostinho estão aptas a se envolverem em projetos ambientais através do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária, que é o único da região. O curso tem condições de oferecer essa contrapartida no que diz respeito ao trabalho de campo que já é desenvolvido em outras unidades de conservação ambiental, aliado à competência e qualidade do nosso corpo docente”, finalizou o coordenador.