Banner Notícia

Acadêmica de Arquitetura selecionada para participar de Seminário Franco-Brasileiro da UFMG

A acadêmica do 8º período de Arquitetura e Urbanismo das Faculdades Santo Agostinho (FASA), Géssica Patrine Ribeiro dos Santos, foi uma das selecionadas para expor a pesquisa desenvolvida em grupo sobre a Comunidade Quilombola Bom Jardim da Prata, em São Francisco, durante o “Seminário Franco-Brasileiro Riquezas Compartilhadas: O que realizamos”, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). O seminário aconteceu entre os dias 07 e 09 deste mês, no auditório de Geociências (IGC), do Campus Pampulha, em Belo Horizonte.

A apresentação ocorreu de forma oral e em pôster e Géssica foi a representante da equipe que tem cinco acadêmicos e dois professores como supervisores da pesquisa apresentada. “Estar entre os selecionados foi maravilhoso. Melhor ainda foi poder ir e apresentar a nossa pesquisa para tantas pessoas com olhares e projetos diferentes. Além de conhecer novas pessoas, novos lugares, ver outros trabalhos apresentados, pude perceber e entender que além da arquitetura e urbanismo, outras áreas também estão se dedicando ao social, ao coletivo, aos saberes e fazeres das pessoas. Foi gratificante participar”, destacou.

A pesquisa apresentada pela acadêmica na UFMG foi realizada dentro do grupo de estudos “Espaços Rurais e Povos Tradicionais”, tendo como objeto de estudo a Comunidade Quilombola Bom Jardim da Prata, na cidade ribeirinha de São Francisco.

Para participar da apresentação oral e com pôster, a acadêmica conta que os professores Amaro Sérgio Marques e Brenda Melo Bernardes ficaram entusiasmados e tiveram a certeza que o trabalho teria grandes chances de ser um dos selecionados. “As Faculdades Santo Agostinho já vêm desenvolvendo há alguns anos essa atividade com a Comunidade Quilombola Bom Jardim da Prata, principalmente, na forma como usam o território, traços e festividades culturais que tentam manter através de festas de Folia de Reis, tradições quilombolas. Quanto à nossa participação no seminário, enviamos um pôster com resumo explicando sobre as manifestações folclóricas e o patrimônio imaterial da comunidade e fomos selecionados. Nesse intuito, Géssica foi nossa representante e ficamos extremamente felizes com o resultado da apresentação do nosso trabalho em grupo”, destacou o coordenador do grupo de estudo, professor Amaro Sérgio Marques.

(*) Sobre o Seminário

O “Seminário franco-brasileiro riquezas compartilhadas: o que realizamos”, promoveu discussões multidisciplinares sobre as riquezas e suas formas de compartilhamento e a socialização dos resultados e experiências do grupo de pesquisa Riquezas Compartilhadas.

Além da UFMG, o projeto é uma realização da Université Lille, da Université de Valenciennes-Hainaut-Cambrésis, do Studio National des Arts Contemporains (Le Fresnoy), da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG) e da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Trata-se de projeto de pesquisa com cooperação internacional, financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig) e pelo Conselho da Região Hauts de France. Seu objetivo foi desenvolver diagnósticos territoriais, identificando e valorizando várias formas de riqueza em Hauts e Minas Gerais. A iniciativa buscou analisar meios e as formas de compartilhamento dessas riquezas entre as populações desses territórios.

O seminário foi estruturado em seis eixos: Riqueza humana e social; Lugares de enriquecimento cultural; Equipamentos e economia do conhecimento; Riqueza social, econômica e inovações; Áreas Industriais e de mineração; e Riqueza natural, diversidade natural e diversidade social. Cada um deles coordenado por uma dupla de pesquisadores franco-brasileiros.

(*) Com informações do site oficial: http://www.riquezascompartilhadas.com.br/